Por que fazer check up esportivo?

Resposta direta: diagnóstico precoce. Identificar problemas; detectar o iceberg – mesmo quando a ponta dele ainda não está aparecendo para fora da água.

Quem deve fazer check up esportivo?
As recomendações do Colégio Americano de Medicina do Esporte, da Sociedade Brasileira de Cardiologia e da Sociedade Brasileira de Medicina do Esporte são:

a) quem participa de competições, 1-2 vezes por ano, passar em avaliação com cardiologista.
-Ah, mas eu tenho uma loja… não sou atleta…
Há pessoas hoje que são atletas que competem e são engenheiro que trabalhas de escala embarcados por 14 dias, atletas + mãe de 2 filhos + dona de uma loja + pedala 300km por semana + acorda 05:00h da manhã para nadar no clube e deopis levar as crianças na escola… e por ai vai… definitivamente são atletas, mesmo sendo “pessoas comuns”.

b) quem tem alto volume de treino, mesmo não participando de competições, 1-2 vezes por ano: por exemplo aquela pessoa que pedala seus 200-300km por semana, faz pilates 3x na semana e faz longão no sábado: alto volume de treino! O coração muda, surgem mudanças elétricas, no formato que tem de ser acompanhadas… é ser muito inocente achar que faz isso tudo e não haveriam modificações no corpo, nos órgãos. Mais um exemplo: a pessoa que faz exercício de alta intensidade 5x por semana. Crossfit!!

c) quem faz exercício físico regularmente para tratar doenças, isso mesmo: o exercício sendo ferramenta terapêutica para o controle de doenças: hipertensão arterial, diabético, paciente que já teve infarto, paciente que faz exercício físico mas está obeso – esses também devem passar em consulta com cardiologista especializado que aborde o exercício físico minuciosamente na consulta: há muitas questões de fisiologia do exercício, dose máxima, frequência cardíaca máxima permitida, modalidades proibidas, enfim, vários detalhes que precisam ser alinhados justamente para evitar a maior tragédia no esporte: morte súbita – que na imensa esmagadora maioria das vezes é evitável. Sim, isso mesmo – na imensa maioria das vezes poderia não ocorrer se houver avaliação pré-, avaliações seriadas e estrutura mínima nos locais onde os eventos irão acontecer.

Veja Também